Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Há uma estante na sala

Há uma estante na minha sala que só fala em português. Uma descoberta de livros e autores portugueses. A viagem de uma vida

Há uma estante na sala

Há uma estante na minha sala que só fala em português. Uma descoberta de livros e autores portugueses. A viagem de uma vida

José Rodrigo dos Santos, a escolha da minha Tarina

Rubrica semanal onde convido amigos a escolherem um livro de um escritor português

03.05.20 | Há uma estante na minha sala

A minha Tarina foi a primeira pessoa a quem contei deste projecto e que ficou mais louca do que eu....Adorou, enviou-me milhares de ideias e coisas que podia fazer. Nesse dia estava na aula de Pilates e só recebia mensagens e mensagens. :) Mas não pensem que é por ser minha amiga, ela também é, das primeiras pessoas a dar-me na cabeça quando acha que estou a fazer algo incorrecto.  Daí vem se calhar o equilibrio desta amizade tão longa.

E quando lhe pedi ajuda para esta rubrica em 10 minutos tinha no WhatsApp tudo o que tinha pedido.

A escolha dela foi José Rodrigues dos Santos jornalista e autor de vários livros entre eles O Homem de Constantinopla editado pela gravida. 

Sinopse do Livro:

O Império Otomano desmorona-se e a minoria arménia é perseguida. Apanhada na voragem dos acontecimentos, a família Sarkisian refugia-se em Constantinopla. Apesar da tragédia que o rodeia, o pequeno Kaloust deixa-se encantar pela grande capital imperial e é ao atravessar o Bósforo que pela primeira vez formula a pergunta que havia de o perseguir a vida inteira:
 
“O que é a beleza?”
 
Cruzou-se com a mesma interrogação no rosto níveo da tímida Nunuphar, nos traços coloridos e vigorosos das telas de Rembrandt e na arquitectura complexa do traiçoeiro mundo dos negócios, arrastando-o para uma busca que fez dele o maior coleccionador de arte do seu tempo. Mas Kaloust foi mais longe do que isso:
 
Tornou-se o homem mais rico do planeta.
 
Inspirado em factos reais, O Homem de Constantinopla reproduz a extraordinária vida do misterioso arménio que mudou o mundo – e consagra definitivamente José Rodrigues dos Santos como autor maior das letras portuguesas e um dos grandes escritores contemporâneos.
 
“Um estilo de escrita prodigiosamente poético e melódico que enfeitiça o leitor.”
Literaturzirkel Belletristik, Alemanha

WhatsApp Image 2020-06-07 at 18.04.19.jpeg

 

Opnião da Tarina

“O Homem de Constantinopla” foi um dos livros que me marcou mais até hoje. É como se estivéssemos a viver na pele do autor, como se sentíssemos todo o processo que ele está a passar. Apesar das descrições tão dolorosas de ler, está maravilhosamente bem escrito. Impossível de o largar até à última palavra.”

 

Rubrica É uma casa portuguesa com certeza